Translate

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Inveja faz mal! Um dos 7 pecados capitais

Inveja - O olho gordo corporativo


O assunto deste post nunca será disciplina, não será citado nos anais de adm. nem gestão, mas é fundamental para sua vida pessoal e profissional. Começo já sugerindo algo que nunca me alertaram: Fuja das almas invejosas, isto mesmo, fuja, corra, saia de perto. O ótimo livro inveja, do Zuenir Ventura cita as seguintes frases para você pensar:

“Ao viajar pela inveja é necessário que se atenha a três distinções básicas: ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é não querer que o outro tenha. Inveja é um vírus que se caracteriza pela ausência de sintomas aparentes. O ódio espuma. A preguiça se derrama. A gula engorda. A avareza acumula. A luxúria se oferece. O orgulho brilha. Só a inveja se esconde.”

Portanto amigos, concordo que não é um tema tão tangível quanto os outros que escrevo, mas isto não diminui sua importância. Acredito que nós somos energia e o mundo, corporativo ou não é feito por energia, trocas de energias, na minha humilde opinião, não desejar que o outro tenha é uma das piores coisas da vida, uma energia bem pesada e influencia sim, os negócios. É o desequilibro íntimo oriundo de um sentimento de inferioridade, fruto da comparação que se faz em relação à outra pessoa.

Não é papo de livros como o “segredo”, mas como subir se tem gente puxando para baixo? No mesmo livro do Zuenir, a emergente Vera Loyola, afirma: o verdadeiro amigo não é o que é solidário na desgraça, mas o que suporta o seu sucesso.

Quantas pessoas passaram pela sua vida com o objetivo de querer o que você conquistou? Não falo apenas de aspectos como grana ou cargo, tem gente que simplesmente não tem coragem de fazer as coisas acontecerem, não possuem pro-atividade, não arriscam e estão loucas para que você se ferre, não necessariamente quer ser você, mas não quer que você seja você (rs), não aceitam suas atitudes, mesmo erradas, isto se chama Inveja, é meu amigo e ela existe.

Deixa eu te cutucar: será que você nunca se percebeu desejando isto para alguém? Torcendo pelo fracasso? Em caso positivo (não precisa me falar, mas pense quando estiver no escuro do seu quarto), a inveja é um dos sentimentos mais difíceis de serem aceitos pelo ser humano. Dizem que a origem que motiva a inveja é que as pessoas não possuem nenhum treino para a contrariedade ou crítica, seja construtiva ou não, para a grande maioria é muito difícil admitir o sucesso de uma outra pessoa e o sentimento resultante é a inveja.
Será que vale a pena queimar energia focando o outro? Isto significa esquecer seu próprio caminho, desejar isto é pobreza de espirito, fraqueza de sentimentos, desperdício de foco de suas próprias metas particulares. Cada um tem um caminho, uma historia, bela ou não, busque escrever a sua. Imagine se Roberto Justos perdesse tempo querendo ser Nizan, se Silvio Santos quisesse ser Roberto Marinho, se Artur Sendas quisesse ser Abilio Dinis, quanto perderíamos com estes grandes empresários.

Evidente que voce deve ter referências, são sadias, são exemplos, isto não é inveja, que não é branca nem negra, é igual a estar meio gravida, não tem meio termo. Os objetivos são seus, você deve esquecer o objetivo dos outros. Todos os “profissionais” que conheci que queriam ser o outro ou tinham inveja evidente se quebraram em algum momento... Quero a vaga dele, a carteira de clientes, o carro, a namorada, a esposa, a vida, pensamentos pobres para almas fracas. A inveja caminha junto da vingança, reparem que todo invejoso articula uma vingança. Como se a vida profissional fosse um roteiro de filmes idiotas do Van Dame ou Stallone, daqueles reprisados na “sessão da tarde”, vingança tem mais relevância que satisfação, parecem que querem criar mais um capitulo nas 48 leis do poder, do Greenne.

Em vez de olhar alguém como inimigo, que tal pensar diferente, talvez como aliado? Que tal unir forças? Diferenças são positivas, seu inimigo potencial jamais terá inveja, entenda que até o diabo tem algo positivo por que seu suposto “rival” não teria? Se você tem inimigo busque trazê-lo para você (é sério) busque objetivos comuns, o suposto inimigo por não ter vínculos emocionais poderá ser mais sincero que seus “amigos”. Por que não voltar a falar com quem não fala? Buscarem juntos o que não conseguiriam fazer sozinhos, profissionalmente sempre ganhei mais “baixando a guarda” do que estimulando competição e rixa, diferente dos modelos de gestão vigentes em empresas que vivem na capa da Exame, estimulando a competição e a rivalidade, muitas vezes sem nexo, visando o curto prazo, criando competição desleal disfarçada de discurso humanista.

Para finalizar, não temos como sumir integralmente do invejoso, ele sempre estará em todos os lugares, na empresa, na família, na academia, nos amigos, temos como administrar e perceber, se precaver, e uma ótima noticia, a inveja ainda não matou ninguém nas empresas.

Achei estas dicas sem autoria num site. Veja: Procure ver as qualidades boas do invejoso, fale sobre os pontos fortes dele, faça um elogio sincero, sendo compreensivo, você terá mais chances de conquistar o respeito e até a amizade dele.

O jeito é perdoar o invejoso e seguir em frente. Agora, cá entre nós, você pensaria em deixar de brilhar? Em deixar de fazer o melhor? Em esquecer seus sonhos por conta dos vampiros que nos cercam? Eu, definitivamente, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário